Além de praias, Prado guarda local onde Cabral avistou a primeira terra brasileira

Prado/BA, 19 de Novembro de 2019 – Prado, localizado no interior da Bahia possui uma série de opções para passeio em família ou entre casais, já que o clima de paz ‘’reina’’ na cidade durante todo o ano, inclusive na de Natal e Reveillon,  sobretudo na Pousada Casa de Maria (www.pousadacasademaria.com.br) que recebe hóspedes durante todo ano que estão a procura de relaxar em um local especial.

Com uma consultoria estratégica de acesso ao mercado, por meio de um convênio com o Sebrae-BA, a Pousada Casa de Maria conta agora com o apoio de profissionais para oferecer ao turista novas experiências em um destino que é rico pela cultural e pela natureza exuberante.

Um local pouco explorado, mas perfeito para um tour é o Parque Nacional Monte Pascoal, local onde Pedro Álvares Cabral avisou a primeira porção de terra brasileira.

Subir o Monte Pascoal, vai muito além do que realizar uma caminhada, mas é a oportunidade de vivenciar o dia a dia da comunidade indigena que ali vive, o cuidado e o respeito pela mãe natureza. É possível sentir a energia que o local proporciona à aqueles que sobem o Monte. Além desta vivencia indígena, é o momento de refletir sobre a nossa história, é saber que foi este monte que proporcionou aos tripulantes portugueses chegarem nas terras baianas.

Saiba mais, a seguir:

MONTE PASCOAL

Com o objetivo de conservar os ecossistemas que se iniciam na beira da praia até as áreas de encosta da Mata Atlântica e proteger o Monte pascoal (primeira porção de terra do Brasil avistada pelos navegadores portugueses), foi criado em 1961 o Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal.

Este parque, por ter em sua área a presença de índios anterior ao seu decreto e atualmente também ser definido um território indígena da etnia Pataxó, tem sua gestão feita de forma compartilhada entre o ICMBio/FUNAI e comunidades Pataxó residentes.

Localizado no extremo sul da Bahia, entre as cidades de Porto Seguro e Prado, o Parque Nacional abrange 22383 ha. Sua área natural apresenta uma grande diversidade de paisagens e belezas cênicas únicas, como a praia da Aldeia de Barra Velha com águas cristalinas e a vegetação de restinga conservada, o manguezal, as florestas de restinga e as praias pluviais do Rio Caraíva e Corumbau, os campos de Mussununga, o Monte Pascoal, com seu cume a 356 m de altitude que garante uma vista de 360º da região, e uma encantadora área de Mata Atlântica, mais especificamente a floresta denominado Ombrofila Densa, com suas árvores de até 40 m de altura com folhas sempre verdes e um clima úmido.

Fauna

A fauna do parque é bastante diversificada. Entre os mamíferos podemos destacar o veado-campeiro e a ariranha, ameaçados de extinção, e alguns raros como o ouriço-preto, a preguiça de coleira e o guariba, além da onça pintada, a suçuarana, a capivara, a anta, o tamanduá, a cotia… Entre as inúmeras aves encontram-se espécies ameaçadas de extinção como o urubu-rei, o gavião-de-penacho, o gavião-pega-macaco, o macuco e o mutum, além do curió e o sabiá-da-mata.

Flora

O local abriga um dos últimos remanescentes da Mata Atlântica, tendo como vegetação predominante a Floresta Tropical Pluvial, que apresenta vegetação densa e exuberante. Alguns destaques do local são visgueiro, farinha-seca e anda-açu.

Comunidades indígenas de Prado

Os índios Tupinambás já ocupavam essas terras muito antes da colonização portuguesa, mas no século XVI quem passou a ocupar a região foi a comunidade Pataxó, que ali está até hoje. Sobrevivendo principalmente das atividades de visitação do parque, da agricultura de subsistência (mandioca, aipim, banana, jaca) e da criação de galinha caipira, são estes indígenas que cuidam da operação do turismo no Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal, graças ao envolvimento da comunidade no ecoturismo de base comunitária desenvolvido em parceria com o Governo Federal.

Clima

O clima da região pode ser considerado de úmido a super úmido, tropical e subtropical. A temperatura média fica em torno de 23 ºC, com máxima e mínima absoluta em torno de 38 e 8 ºC, respectivamente. A pluviosidade fica entre 1500 e 1750 mm anuais.

Visitação

O parque funciona diariamente das 8h às 17h. A visita só é permitida com a presença de guias locais (vide preços abaixo). O pagamento dos passeios deve ser realizado ao recepcionista presente na portaria do parque, na hora do passeio,  à vista e em dinheiro.

 

ENTRADA DO PARQUE – PÉ DO MONTE

Localizada ao pé do Monte Pascoal está a portaria do parque. Os Pataxós responsáveis pelo receptivo turístico desta localidade residem na Aldeia do Pé do Monte próxima dali.

Prado/BA, 19 de Novembro de 2019 – Diante de um cenário em que constam notícias a respeito de possíveis manchas de óleo em direção à cidade de Prado, no Sul da Bahia, o turismo que é a principal economia do município tem sido o assunto do momento.

No entanto, por mais que o comandante da Marinha, Ilques Barbosa Júnior, tenha informado em nota na data de ontem (30), que não há existência de manchas de óleo na região, muitas pessoas associam à cidade somente as belas praias que ostentam o apelido de “Caribe brasileiro”. Porém, mesmo que na localidade exista também o Parque Nacional de Abrolhos, um dos mais antigos arquipélagos preservados pelo país, a cidade abriga uma série de opções para passeio em família ou entre casais, já que o clima de paz ‘’reina’’ na cidade durante todo o ano, sobretudo na Pousada Casa de Maria (www.pousadacasademaria.com.br) que recebe hóspedes durante todo ano que estão a procura de relaxar em um local especial.

Com uma consultoria estratégica de acesso ao mercado, por meio de um convênio com o Sebrae-BA, a Pousada Casa de Maria conta agora com o apoio de profissionais para oferecer ao turista novas experiências em um destino que é rico pela cultural e pela natureza exuberante.

Um local pouco explorado, mas perfeito para um tour é o Parque Nacional Monte Pascoal, local onde Pedro Álvares Cabral avisou a primeira porção de terra brasileira.  Além deste passeio, vários outros se destacam. Saiba mais, a seguir:

MONTE PASCOAL

Com o objetivo de conservar os ecossistemas que se iniciam na beira da praia até as áreas de encosta da Mata Atlântica e proteger o Monte pascoal (primeira porção de terra do Brasil avistada pelos navegadores portugueses), foi criado em 1961 o Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal.

Este parque, por ter em sua área a presença de índios anterior ao seu decreto e atualmente também ser definido um território indígena da etnia Pataxó, tem sua gestão feita de forma compartilhada entre o ICMBio/FUNAI e comunidades Pataxó residentes.

Localizado no extremo sul da Bahia, entre as cidades de Porto Seguro e Prado, o Parque Nacional abrange 22383 ha. Sua área natural apresenta uma grande diversidade de paisagens e belezas cênicas únicas, como a praia da Aldeia de Barra Velha com águas cristalinas e a vegetação de restinga conservada, o manguezal, as florestas de restinga e as praias pluviais do Rio Caraíva e Corumbau, os campos de Mussununga, o Monte Pascoal, com seu cume a 356 m de altitude que garante uma vista de 360º da região, e uma encantadora área de Mata Atlântica, mais especificamente a floresta denominado Ombrofila Densa, com suas árvores de até 40 m de altura com folhas sempre verdes e um clima úmido.

Fauna

A fauna do parque é bastante diversificada. Entre os mamíferos podemos destacar o veado-campeiro e a ariranha, ameaçados de extinção, e alguns raros como o ouriço-preto, a preguiça de coleira e o guariba, além da onça pintada, a suçuarana, a capivara, a anta, o tamanduá, a cotia… Entre as inúmeras aves encontram-se espécies ameaçadas de extinção como o urubu-rei, o gavião-de-penacho, o gavião-pega-macaco, o macuco e o mutum, além do curió e o sabiá-da-mata.

Flora

O local abriga um dos últimos remanescentes da Mata Atlântica, tendo como vegetação predominante a Floresta Tropical Pluvial, que apresenta vegetação densa e exuberante. Alguns destaques do local são visgueiro, farinha-seca e anda-açu.

Comunidades indígenas de Prado

Os índios Tupinambás já ocupavam essas terras muito antes da colonização portuguesa, mas no século XVI quem passou a ocupar a região foi a comunidade Pataxó, que ali está até hoje. Sobrevivendo principalmente das atividades de visitação do parque, da agricultura de subsistência (mandioca, aipim, banana, jaca) e da criação de galinha caipira, são estes indígenas que cuidam da operação do turismo no Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal, graças ao envolvimento da comunidade no ecoturismo de base comunitária desenvolvido em parceria com o Governo Federal.

Clima

O clima da região pode ser considerado de úmido a super úmido, tropical e subtropical. A temperatura média fica em torno de 23 ºC, com máxima e mínima absoluta em torno de 38 e 8 ºC, respectivamente. A pluviosidade fica entre 1500 e 1750 mm anuais.

Visitação

O parque funciona diariamente das 8h às 17h. A visita só é permitida com a presença de guias locais (vide preços abaixo). O pagamento dos passeios deve ser realizado ao recepcionista presente na portaria do parque, na hora do passeio,  à vista e em dinheiro.

 

ENTRADA DO PARQUE – PÉ DO MONTE

Localizada ao pé do Monte Pascoal está a portaria do parque. Os Pataxós responsáveis pelo receptivo turístico desta localidade residem na Aldeia do Pé do Monte próxima dali.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *